A importância do ácido fólico na gestação

ácido fólico engorda

Atenção, futuras mamães! Vocês sabiam que é extremamente necessária a dosagem de ácido fólico no seu organismo no período de gravidez? Mas, calma, podem ficar tranquilas que a gente vai explicar passo a passo a importância dessa supervitamina.

O que é ácido fólico?

O ácido fólico é uma vitamina do complexo B, também conhecida como vitamina B9 e folato. É essencial na gravidez devido ao seu papel na multiplicação celular.  “Durante a sua formação, o feto precisa de grandes quantidades da vitamina por causa da multiplicação celular, que é necessária na formação da nova vida”, diz a obstetra Patrícia Garcia. O nutriente é pré-requisito na fase reprodutiva e na formação de anticorpos, além de atuar como coenzima na síntese de DNA, RNA e proteica e divisão celular.

Especialistas recomendam a ingestão de ácido fólico até três meses antes da mulher engravidar. Na gestação, deve ser consumido até completar as 12 semanas, pois a vitamina diminui os riscos de má formação do tubo neural, que começa a se formar já no primeiro mês de gestação.

Deficiência do ácido fólico

O tubo neural é o sistema nervoso primitivo do feto e o seu desenvolvimento forma o cérebro e a medula espinhal do bebê.  Com a deficiência de ácido fólico na mãe, o tubo neural da criança pode não se formar por completo, causando anencefalia (ausência do cérebro) ou espinha bífida, que provoca danos na medula, levando à paralisia dos membros inferiores.

No final da gravidez, a carência de ácido fólico está associada à anemia megaloblástica, resultado da produção anormal de hemácias. A falta de folato ainda provoca outras consequências, como aborto espontâneo, parto prematuro, pré-eclâmpsia e hemorragias. “Por isso, é sempre importante ter o acompanhamento de um médico para, desde cedo, tomar as atitudes necessárias para o bem do neném e da mãe”, conta Patrícia.



Alimentos ricos em ácido fólico

Conheça os principais alimentos fontes de ácido fólico:

  • Vísceras
  • Feijão
  • Vegetais de folha verde-escura (espinafre, brócolis, couve, aspargo, couve-de-bruxelas)
  • Levedo de cerveja
  • Gérmen de trigo
  • Suco de laranja
  • Melão
  • Abóbora
  • Abacate
  • Beterraba

O ácido fólico é instável ao calor, por isso, alimentos que passaram por processo de cozimento em temperaturas elevadas podem ter perdas consideráveis do nutriente.

Suplementação de ácido fólico

Nem sempre apenas a alimentação pode garantir a ingestão recomendada de nutrientes, sendo recomendado o uso de suplementos nutricionais de acordo com as necessidades individuais de cada um. A suplementação de ácido fólico reduz o risco para defeitos no tubo neural, por isso, desde 2004, uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) determina a adição de ácido fólico nas farinhas de trigo e milho.

Além das farinhas enriquecidas, existem suplementos em cápsulas, comprimidos ou líquidos de ácido fólico, que ajudam a garantir as doses recomendadas para mulheres que desejam engravidar ou estão grávidas.

Ácido fólico ajuda a engravidar?

Afinal, o ácido fólico ajuda a engravidar? Por não influenciar na fertilidade da mulher, este nutriente não ajuda a engravidar.

Ácido fólico engorda?

Não. Assim como qualquer vitamina, o ácido fólico não tem calorias e não engorda nem aumenta o apetite. “Muitas mães acham que engordam e por isso não consomem. Isso é uma grande mentira, pois caso seja consumida em excesso, o corpo irá eliminar a vitamina pela urina e só usará o que for necessário. Portanto, não irá causar ganho de peso”, explica a obstetra.



Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.