Alimentação Intuitiva: a chave para emagrecer sem dietas

Alimentação Intuitiva: a chave para emagrecer sem dietas

Você já viveu aquele ciclo das dietas? Começar uma dieta, ela não dá certo, você exagera na comida, você se sente insatisfeito com seu corpo e começa outra dieta? Conheça o conceito de Alimentação Intuitiva, sem dietas, sem restrições e ainda pode levar à perda de peso saudável.

Dietas

Sempre há um padrão de corpo “perfeito” imposto pela sociedade, e junto com isso surgem dietas que prometem efeitos milagrosos para alcançar esse corpo. Mas a maior parte das dietas além de não funcionar também podem promover o ganho de peso.

Alimentação Intuitiva

Um dos princípios da alimentação intuitiva é auto aceitação e rompimento com dietas.

Intuição é a capacidade de entender ou identificar coisas que não dependem de um conhecimento prático.

A alimentação intuitiva tem como objetivo manter em sintonia o indivíduo, a comida, a mente e o corpo.

A fome é o principal sinal dado pelo nosso organismo de que precisamos abastece-lo para fornecer energia para realizarmos nossas atividades.

Saciedade é outro sinal dado pelo nosso corpo, de quando estamos satisfeitos, quando acabou a fome, e muitas vezes não nos atentamos a eles.

Quando fazemos dietas, ou restringimos nossa alimentação, não conseguimos ouvir esses sinais básico dado pelo nosso próprio corpo.

A alimentação intuitiva tem como base respeitar o sinal de fome e o sinal de saciedade. É a ideia de que devemos comer quando temos fome e parar de comer quando estamos satisfeitos, determinando o que, quando e quanto comer.

Outros princípios

Além de não se restringir e romper com as dietas, a alimentação intuitiva também prioriza a auto aceitação, o amor próprio e a auto estima. Aceitar o próprio corpo, as próprias limitações, e sua genética.

Além disso é importante dar a devida atenção às emoções e sentimentos, como ansiedade, solidão, tédio, que muitas vezes são escondidos e confundidos com fome levando o indivíduo a buscar bem-estar na comida. Temos que comer para suprir necessidades fisiológicas e não emocionais.

A alimentação tem que ser um momento de satisfação ao comer o que realmente quer, em um ambiente agradável, isso permite uma melhor percepção de saciedade.

É importante fazer as pazes com os alimentos, romper com o conceito de alimentos “bons” ou “ruins”. É sempre importante se exercitar e cuidar da sua saúde.

A alimentação intuitiva não é sobre quantidade ou qualidade dos alimentos, e sim com a relação de cada um com a comida.

O alimento não deve ser visto apenas pelas calorias ou pelos nutrientes como proteínas, carboidratos etc. Porque tão importante quanto se nutrir é a forma como você come. E isso a técnica do mindfulness eating pode auxiliar.

Fica dica

Quando estiver em dúvida se você está realizando a alimentação intuitiva se questione: Por que eu como? Quando quero comer? O que eu como? Como eu como? Quanto eu como? Onde eu gasto minha energia?

Tenha consciência da sua fome e procure não julgar os seus sentimentos que geram à vontade por determinados alimentos.

Escolha se irá comer ou não, se optar por comer, aproveite a refeição, saboreie os alimentes de forma consciente e prazerosa.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.