Benefícios do ômega-3 para saúde intestinal

Benefícios do ômega-3 para saúde intestinal

A saúde do intestino está diretamente ligada ao bom funcionamento do organismo pois regula funções importantes, como o sistema imunológico e a digestão dos alimentos. Inclusive, também pode ser fonte do surgimento de diversas doenças, já que abriga milhares de microrganismos. O uso de ômega-3, um tipo de ácido graxo essencial ao organismo, considerado como uma “gordura boa”, pode ser feito como uma forma de prevenir essas doenças e preservar a saúde intestinal.

O que é ômega-3?

É um tipo de gordura poli-insaturada chamada de ácido graxo essencial, que não é produzido pelo organismo e deve ser consumido diariamente por meio da dieta ou de suplementação. As principais fontes são óleos vegetais, principalmente de soja e canola, peixes de águas frias e sementes como linhaça e chia.

A microbiota

A microbiota intestinal é composta por bilhões de tipos de microrganismos que variam para cada pessoa e são influenciados por diversos fatores, inclusive os hábitos alimentares. Estes hospedeiros são responsáveis por controlar funções no organismo como o sistema imunológico, a digestão dos alimentos, metabolismo de medicamentos, produção de vitaminas e prevenção de doenças.

Como o ômega-3 melhora a microbiota?

Maior diversidade da microbiota intestinal

Os níveis circulantes adequados de DHA, um tipo de ácido graxo originado a partir do ômega-3, e outros ácidos graxos essenciais são relacionados com uma maior diversidade da microbiota intestinal.

Essa maior diversidade será responsável por manter as funções intestinais reguladas e ativas, como a degradação dos alimentos, desenvolvimento do sistema imune, regulação do acúmulo de gordura e proteção contra doenças, já que os microrganismos presentes na microbiota competirão com os causadores das doenças, inibindo sua proliferação.

Fosfatase alcalina intestinal

O consumo regular de ômega 3 parece aumentar os níveis de fosfatase alcalina intestinal, uma enzima com ação protetora, que induz alterações na composição das bactérias maléficas, diminuindo a passagem dessas bactérias para o intestino, o que contribui com a prevenção de inflamações nesse local e, consequentemente de doenças inflamatórias intestinais (DII). Além de participar da absorção de gorduras, no controle do pH do intestino, crescimento de bactérias benéficas e na desintoxicação intestinal.

Ação anti-inflamatória

Outro efeito benéfico do ômega-3 é por conta de sua ação anti-inflamatória. O organismo o utiliza para produção de prostaglandina, substância que participa do processo de prevenção a inflamações.

Foi constatado que o ômega-3 associado com a ingestão adequada de fibras, diminui as respostas inflamatórias, que podem ser associadas a doenças crônicas não transmissíveis, incluindo as inflamatórias intestinais caracterizadas pela Retocolite Ulcerativa e a Doença de Crohn, e até mesmo a obesidade.

Prevenção e tratamento de doenças

Para pessoas que possuem doenças inflamatórias intestinais, o consumo diário de ômega-3 pode ser benéfico como coadjuvante ao tratamento, para diminuição da atividade da doença e da lesão na mucosa intestinal, diminuição do uso de medicamentos corticosteroides, melhora clínica com efeitos anti-inflamatórios, aumento no ganho de peso e prolongação do período de remissão da doença, além de evitar recaídas clínicas durante esta fase. Lembrando que cada caso deve ser avaliado por um profissional da saúde.

Já quando se considera a saúde intestinal de pessoas obesas, é comprovado que sem o cuidado necessário para manter a diversidade dos microrganismos, a microbiota é alterada, causando um desequilíbrio da flora intestinal e favorecendo o processo inflamatório, o que pode agravar a situação de obesidade.

Efeitos colaterais

A suplementação do ômega-3 pode causar distúrbios gastrintestinais, alterações na coagulação do sangue, sangramento gengival e ganho de peso, quando ingerido em excesso ou consumido por indivíduos que tenham algum problema de saúde específico.

Deve ser consumido com cautela por pessoas que possuam problemas de coagulação e/ou colesterol elevado, já que por se tratar de uma gordura, pode aumentar ainda mais os níveis no sangue. Consulte sempre um profissional para prescrição adequada.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.