Chás: diferentes modos de preparo

Chás: diferentes modos de preparo

Você sabia que a palavra chá só foi criada depois que houve a infusão das folhas da planta Camellia sinensis na água quente? Essa planta é a usada no famoso chá verde, e hoje a palavra chá é usada para qualquer bebida feita com água fervente e plantas e/ou vegetais. Mas o que muitos não sabem, é que não há apenas um modo de preparo, há formas corretas de preparo, para assim, não prejudicar o sabor e aproveitas as propriedades de cada chá.

Confira os diferentes modos de preparo para os chás e dicas para preservar seus benefícios. Confira 10 dicas de compra, preparo e consumo de chás.

Infusão

A infusão é o método mais comum de preparo dos chás, sejam eles medicinais ou não. É o método mais indicado para plantas que não liberam seus compostos benéficos e bioativos em baixas temperaturas, mas também não podem ser fervidas.

Normalmente, indica-se esse método para as flores, pétalas e folhas de uma planta.

Como fazer: colocar a água fervente sobre a planta ou vegetal, em seguida abafar, deixar por tempo determinado e coar.

É importante ressaltar que não pode deixar descansando por muito tempo, uma vez que o chá pode ficar amargo e, não adianta adoçar.

O mais comum é indicar o repouso de:

  • Flores e folhas: no máximo 10 minutos;
  • Talos, raízes e cascas: de 20 a 30 minutos.

Opções para o preparo: chá de hibisco, chá verde, chá de cavalinha e chá de camomila.

Decocção

Esse método consiste na ebulição da planta ou vegetal em água, por tempo determinado. É indicado para ervas que liberam seus compostos bioativos em altas temperaturas.

Esse método não é indicado para plantas com compostos que se degradam em altas temperaturas, afinal, assim você perderia os benefícios.

Como fazer: A planta deve ser colocada em água fria e assim levada ao fogo até à fervura da água. Após isso, o chá ainda fica em repouso, para só depois ser coado.

Indica-se:

  • Tempo no fogo: 10 minutos (para folhas e flores e brotos);
  • Tempo no fogo: 15 a 20 minutos (para raízes, cascas e talos);
  • Tempo de repouso: 10 a 15 minutos;
  • Para ervas medicinais, o chá deve ser consumido quente.

Método indicado para:

  • Cascas;
  • Raízes;
  • Rizomas;
  • Caules;

Opções para o preparo: chá de gengibre, chá de casca de abacaxi e chá de canela.

Maceração

A maceração é um método que pode ser feito com água fria. Ideal para plantas e vegetais que se degradam com o aquecimento, pois usando a água fria, você preserva os benefícios e as propriedades terapêuticas do ingrediente.

Como fazer: amassar e/ou picar a planta e somente adicionar água. Para o gosto ficar mais forte, você pode deixar de molho em um recipiente com água fria por 10 a 24 horas:

Indica-se:

  • Folhas, flores e brotos: 10 a 12 horas;
  • Talos, cascas e raízes: aproximadamente 24 horas.

Opções para o preparo:  chá de hortelã e gengibre.

10 dicas de compra, preparo e consumo de chás:

  • Comprar a planta ou erva pelo seu nome científico, pois o nome popular varia de região para região, para isso, pesquise em fontes confiáveis;
  • Não consuma um chá mais de 24 horas depois de preparado;
  • Verificar as recomendações de doses, de acordo com a necessidade e idade de cada pessoa;
  • Varie os chás, para que o seu organismo não se “acostume”;
  • Evite o preparo em utensílios de alumínio, pois ele reage e inibe alguns princípios bioativos dos chás;
  • Você pode aproveitar todas as partes de um alimento, como o abacaxi! Ao invés de jogar a casca, você pode usar a técnica de decocção e colocar para ferver com a água;
  • Ervas como a hortelã e o capim limão possuem óleos essenciais e aromar deliciosos, você pode usar a técnica de maceração para maior proveito;
  • De manhã, prefira chás mais energéticos: chá verde, chá mate e chá preto;
  • De tarde, prefira chás digestivos e energéticos: chá verde, hortelã, boldo e gengibre;
  • De noite prefira chás calmantes: de camomila, erva doce, erva cidreira e melissa.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.