Como escolher um multivitamínico?

Como escolher um multivitamínico?

O suplemento multivitamínico, ou polivitamínico, como também pode ser conhecido é composto por uma variedade de vitaminas e minerais, que ajudam a complementar a alimentação, caso esta não consiga suprir as necessidades diárias destes nutrientes indispensáveis para a saúde.

É importante lembrar que, para saber se é necessário o uso de polivitaminicos, é indicado consultar um médico ou nutricionista, para que através de exames e sintomas, possa detectar deficiências nutricionais.

Hoje existem diversas marcas diferentes de polivitaminicos no mercado, e ninguém quer gastar dinheiro comprando suplementos vitamínicos que não são tão bons, apesar e se dizerem ser. Por isso, precisamos saber, como escolher.


Qual é o melhor multivitamínico?

Para fazer a escolha do polivitaminico, é importante levar alguns pontos em consideração para, além de economizar, escolher o produto que atenda suas necessidades:

  • Não adianta o complemento vitamínico fornecer “mega-doses” de vitaminas e minerais, pois o organismo não absorverá o “excesso”, absorverá apenas parte do que estará sendo ingerido. Caso seja absorvido algum excesso, este será excretado através da urina e/ou fezes; ou ainda poderá causar intoxicação por ser depositado em locais inapropriados do organismo. Ou seja, excesso de vitaminas e minerais também podem ser prejudiciais e são, portanto, dispensados.
  • Aqueles multivitamínicos que aparentemente são “completos” por terem todas as vitaminas e minerais, podem não ser tão maravilhosos assim. Muitas marcas colocam que seu produto é completo como jogada de marketing, pois na fórmula tem todas as substâncias, mas estão em quantidades tão pequenas que se tornam insignificantes para o organismo. São substâncias que estão ali para dizer que o suplemento é “tem de tudo”.
  • A qualidade dos multivitamínicos pode variar muito em relação à biodisponibilidade. Isso significa que a quantidade de cada vitamina e mineral que realmente estará disponível na corrente sanguínea será diferente para cada um, após ingerir um comprimido. Isso acontece, porque existem várias formas de administrar vitaminas e minerais em um suplemento e elas diferem não só no preço, mas na quantidade do nutriente que efetivamente seu organismo receberá após cada dose. Existem fórmulas que, para ficarem mais baratas, apresentam as formas de micronutrientes de pior absorção e/ou mais efeitos colaterais. É importante tomar cuidado!
  • Alguns micronutrientes interferem na absorção de outros, por exemplo, o ferro compete pela absorção com o zinco, o cálcio compete com o magnésio, a vitamina C com o cálcio, entre outras interferências. Desta forma, o melhor seria que não houvesse a administração de todas essas substâncias juntas, já que muitas interferências ocorrerão e, portanto, alguns nutrientes serão absorvidos em menor quantidade. Porém, alguns produtos já oferecem os nutrientes em uma forma que favorece absorção de todos, sem competição.
  • Existem vitaminas chamadas de lipossolúveis, são a vitamina A, D, E e K. Essas vitaminas são absorvidas na presença de gordura, então deveriam ser administradas com alimentos (por apresentarem gordura). Por isso, não é indicado consumir em jejum.



Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.