Consumo de alimentos orgânicos evita intoxicações químicas

Consumo de alimentos orgânicos evita intoxicações químicas

Os alimentos orgânicos vêm conquistando cada vez mais produtores e consumidores, principalmente pelo reconhecimento de que a utilização de insumos químicos pode causar problemas à saúde e ao meio ambiente.

O casal Joop Stoltenborg e Tini Schoenmaker, fundadores do Sítio A Boa Terra, são exemplos disso. Trabalharam muito tempo utilizando agrotóxicos na agricultura, mas após vivenciarem casos de familiares e animais adoecendo por inalarem substâncias tóxicas, iniciaram uma busca por práticas mais sustentáveis, que vão muito além do alimento ser livre de agrotóxico. Para ser considerado orgânico, não se deve utilizar hormônios, drogas veterinárias, adubos químicos, antibióticos ou transgênicos e o cultivo deve respeitar aspectos ambientais, sociais, culturais e econômicos, garantindo um sistema agropecuário sustentável. “Ou seja, é um organismo totalmente integrado e a favor da vida”, conta Larissa Mazza, naturóloga do sítio.

Embora sejam necessários todos esses cuidados, o número de produtores orgânicos no país cresceu 51,7% somente entre janeiro de 2014 e janeiro de 2015, segundo o Ministério da Agricultura. Esses resultados são animadores frente a um dado alarmante: o Brasil lidera o consumo de agrotóxicos no mundo, ultrapassando a marca de 1 milhão de toneladas, o que equivale ao consumo médio de 5,2 kg de veneno agrícola por habitante.

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) alerta para os riscos à saúde humana decorrentes da exposição aos agrotóxicos, particularmente em relação a determinados tipos de câncer. Segundo o órgão, as intoxicações agudas por agrotóxicos afetam principalmente as pessoas expostas em seu ambiente de trabalho, já as intoxicações crônicas, decorrentes da presença de resíduos químicos em alimentos e no ambiente, podem afetar toda a população e causar infertilidade, impotência, abortos, malformações, neurotoxicidade, desregulação hormonal, efeitos sobre o sistema imunológico e até câncer.

Os alimentos orgânicos são melhores que os convencionais?

De acordo com a professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp, Magali Monteiro, que realiza pesquisas sobre o tema, os alimentos orgânicos são semelhantes aos alimentos convencionais, sobretudo do ponto de vista nutricional e sensorial. No entanto, eles apresentam vantagem sobre os convencionais, já que o cultivo é isento de agrotóxicos e adubos químicos. “Mas é necessário que o alimento orgânico seja produzido de acordo com as normas da produção orgânica e seja certificado”, ressalta a docente.

Os agrotóxicos são considerados xenobióticos, ou seja, compostos químicos estranhos ao organismo. Por isso, precisam ser eliminados corretamente através de um processo que ocorre naturalmente no fígado e no intestino chamado destoxificação. Quando o organismo não elimina os xenobióticos adequadamente, há maior risco de desenvolvimento de doenças como o câncer. Os medicamentos, pesticidas, inseticidas, corantes e conservantes também são exemplos de xenobióticos.

A pesquisadora faz outro alerta importante: o uso de dejetos de animais como método de adubação pode contaminar os alimentos. Assim, para diminuir o risco de contaminação, a técnica recomendada é a compostagem. “Trata-se de um processo biológico de decomposição da matéria orgânica em que podem estar contidos restos de origem animal ou vegetal. Esse processo é feito durante 60 e 90 dias a 60ºC. O produto obtido ao final do processo de compostagem pode ser aplicado para melhorar as características do solo, sem que haja contaminação do meio ambiente”, explica Magali.

Além de evitar intoxicações químicas, os alimentos orgânicos seguem práticas que permitem estabelecer uma relação sustentável entre consumidor, produtor e o planeta. No Sítio A Boa Terra são praticados o plantio e a colheita planejados, o que evita desperdício de alimentos e de mão de obra, garante melhor preço para o consumidor e ainda preserva os recursos do planeta. “Isso se dá, por exemplo, no sistema de pedidos através de cestas orgânicas. Dessa maneira, o consumidor programa sua compra da semana e envia para a gente. Nós podemos compartilhar esse pedido com o produtor, orientando o quanto será colhido, contribuindo com a sustentabilidade”, explica Larissa.

Ou seja, ao consumir produtos orgânicos estamos ajudando a minimizar formas de poluição, garantindo a nossa saúde e a do trabalhador do campo, além de manter a diversidade genética do sistema de produção. “Estamos cuidando da saúde integral”, ressalta a naturóloga. Como alerta o IFOAM (International Federation of Organic Agriculture Movements) em uma frase que ganhou fama após ser dita pela Bela Gil, “a verdadeira comida saudável é aquela que faz bem para a nossa saúde, o meio ambiente e para quem produz”.

Veja as principais dúvidas sobre alimentos orgânicos:

O que são alimentos orgânicos?

De acordo com o Ministério da Agricultura, para ser considerado orgânico o produto deve ser cultivado sem o uso de agrotóxicos, hormônios, drogas veterinárias, adubos químicos, antibióticos ou transgênicos em qualquer fase da produção. O produtor também deve considerar a sustentabilidade social, ambiental e econômica e valorizar a cultura das comunidades rurais.

Alimentos orgânicos: vantagens e desvantagens

Existe um mito de que o produto orgânico é menor ou mais feio, mas isso não é verdade. Além de ser um produto de qualidade, você tem a certeza de ingerir um alimento livre de pesticidas e que ainda é cultivado respeitando os recursos naturais do planeta, garantindo a sua saúde e a do trabalhador rural.
Pelos cuidados serem maiores, o custo de produção também se eleva, muitas vezes tornando os alimentos orgânicos mais caros do que os convencionais, mas já é possível encontrá-los com preços compatíveis. Ao escolher produtos orgânicos, você também estimula o crescimento dessa prática, o que aumenta a oferta e diminui seu preço ao consumidor.

E você, o que acha dessa relação entre agrotóxicos, saúde, alimentos orgânicos e meio ambiente? Você costuma consumir alimentos orgânicos? Deixe um comentário contando para a gente.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.