Desidratação, entenda os malefícios!

Desidratação, entenda os malefícios!

Você sabia que a desidratação pode ser considerada uma doença?

É isso mesmo, quando se fala de desidratação, esta não deve ser só relacionada a baixas concentrações de água no corpo, mas também de sais minerais e de outros líquidos orgânicos que dependem da água para exercer suas funções e quando não adequados, acabam favorecendo o aparecimento de sintomas e prejudicando o funcionamento do organismo. 

É considerada potencialmente grave, principalmente para idosos e crianças (especialmente recém-nascidos e lactentes), mas também pode afetar todas as idades. 

A perda excessiva de água e eletrólitos podem ser secundárias a diarreias agudas, vômitos, febre, exposição a altas temperaturas, consumo insuficiente de líquidos e outros.

Confira como saber se você está desidratado, porque a desidratação pode representar um grave risco de vida para as pessoas, além de dicas para se manter hidratado e evitar esse risco.

Sinais e Sintomas da Desidratação

A desidratação pode ser classificada, segundo o grau de gravidade, em leve, moderada e grave. 

Os sinais da desidratação (leve e moderada) clássicos são: 

  • Sede exagerada
  • Boca e pele secas
  • Olhos fundos
  • Ausência ou pequena produção de lágrimas
  • Diminuição da produção de suor, e nos bebês, a moleira afundada

Outros sintomas que podem ser associados à desidratação são dor de cabeça, sonolência, tonturas, fraqueza, cansaço e aumento da frequência cardíaca. 

Em casos mais graves, a desidratação pode levar a queda de pressão arterial, perda de consciência, convulsões, coma, falência de órgãos e até a morte.

Muitas das vezes, a possibilidade da desidratação só é percebida quando a pessoa relata estar com sede, mas o corpo pode dar outros sinais de que está com falta de água, conheça alguns deles!

Mau hálito

Mesmo em pessoas com a saúde bucal em dia, esse pode acontecer por baixa ingestão de água, uma vez que a saliva não será produzida normalmente, o que favorece crescimento bacteriano que pode provocar o mau cheiro.

Cãibras musculares durante os treinos

A perda de líquidos que acontece durante os exercícios favorece também a perda de eletrólitos como sódio e que são importantes para as contrações musculares, favorecendo assim a câimbras. 

A desidratação prejudica também o controle da temperatura interna  e essa pode atingir os músculos, favorecendo as dores.

Pele seca

Um sinal considerado clássico da desidratação. Quando se chega a esse ponto é indicativo de que o indivíduo já passou por vários estágios da desidratação.

Quais são os perigos da desidratação?

Quando esses sinais não são percebidos e resolvidos logo, a desidratação estimula o centro de sede do cérebro, aumentando a vontade de beber água e se a ingestão não corresponder à perda, a desidratação se agrava. 

A sudorese (perda de líquido para o meio) diminui e menos urina é excretada, fazendo com que a água se desloque do interior das células para a corrente sanguínea para manter o volume necessário de sangue e a pressão arterial. 

Se a desidratação continuar, os tecidos do corpo começam a “secar” prejudicando seu  funcionamento normal.

Em casos de desidratação grave, a sensação de sede pode efetivamente diminuir, assim como  a pressão arterial, provocando sensação de desmaio iminente, especialmente ao levantar-se. 

Se a desidratação continuar, pode ocorrer choque e graves danos aos órgãos internos, tais como rins, fígado e cérebro, que têm células particularmente suscetíveis a níveis mais graves de desidratação e por isso, a confusão é considerada um dos melhores indicadores do agravamento da desidratação. Quando muito grave, a desidratação pode levar ao coma.

Como saber se a pessoa está hidratada ou não?

Se você está com sede, já está desidratado. Mas o contrário não é verdadeiro, uma vez que é comum algumas pessoas relatarem que não sentem sede ou falta de água, então sempre atenção.  Para esclarecer qualquer dúvida, fique de olho em 2 pontos: a pele e a urina!

Na pele faça o teste: use dois dedos para apertar a pele nas costas da mão e solte a pele. A pele deve retornar à sua posição normal em menos de dois segundos.

De olho na cor da urina: essa deve ser clara, num tom de amarelo bem suave. Tons mais escuros são sinais de alerta para começar a beber mais líquidos.

O que fazer para se manter hidratado?

A recomendação média é de 2 litros de água por dia, mas para aqueles que não têm nenhum problema de saúde associado, pode-se usar a regrinha de 25 a 35 ml por quilo de peso por dia para calcular sua necessidade específica.

Vale lembrar que sucos concentrados, refrigerantes, néctar e outras bebidas açucaradas não substituem o consumo de água. Mas os chás naturais, água de coco (considerado um isotônico natural) e sucos de frutas naturais podem ser usados para complementar a ingestão diária de líquidos.

A ingestão de líquidos também pode ser equilibrada com o consumo de frutas e de alguns legumes e verduras mais ricos em água, como:

  • Melão
  • Morangos
  • Melancia
  • Abacaxi
  • Pepino
  • Aipo
  • Alface
  • Abobrinha
  • Tomate 
  • Pimentão

Outras dicas para garantir uma boa hidratação são: 

Mantenha uma garrafa de água sempre por perto e se for necessário, coloque alarmes no celular. Existem também aplicativos de celular que disparam lembretes. 

Se o consumo da água pura ainda for difícil, pode ser colocado pedaços de frutas, cascas de limão e laranja, folhas de hortelã, pau de canela para dar um sabor a água.

Referências:

drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/desidratacao/ 

https://www.rededorsaoluiz.com.br/sintomas/desidratacao

mundoeducacao.uol.com.br/saude-bem-estar/desidratacao.htm

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.