Dieta dos Gladiadores: o que pode ser aproveitado?

Dieta dos Gladiadores: o que pode ser aproveitado?

A Dieta dos Gladiadores ficou conhecida recentemente devido ao documentário The Game Changers ou Dieta de Gladiadores do Netflix. Tem no elenco e como adeptos, nomes importantes como Arnold Schwarzenegger, James Wilks e Patrik Baboumian.

Conheça mais sobre essa dieta seguida por nomes de força e peso!

A Dieta apresentada pelo documentário

A dieta, é divulgada como plant based (dieta a base de plantas), uma dieta feita estritamente do consumo de alimentos de origem vegetal. Durante a produção os termos vegetariano e vegano não são utilizados. De acordo com o que é relatado, esse tipo de alimentação pode contribuir para o aumento da massa magra, melhora do rendimento esportivo e na prevenção de doenças metabólicas.

Durante todo o documentário, são apresentados estudos que favorecem o consumo de uma dieta a base de plantas, porém houve grande repercussão na mídia se a forma que os resultados foram demonstrados e comparados, são realmente confiáveis.

A Dieta dos Gladiadores segundo a história

Existem arquivos que apontam que parte dos gladiadores, mais precisamente do Éfeso, oeste da atual Turquia, eram adeptos a uma dieta em grande parte vegetariana.

Eles utilizavam os alimentos como trigo e cevada para o ganho de peso, mais precisamente de gordura, além de uma alimentação rica em grãos ser típica da região e da época, a carne dificilmente era consumida, por serem tratados como escravos na época.

Como sofriam muitos golpes, a gordura atuava como um escudo de defesa extra, permitindo a proteção dos órgãos, dos nervos vasos sanguíneos e consequentemente menos dor.

Outras pesquisas também demonstraram que a dieta dos gladiadores poderia mudar de acordo com a sua localização. Enquanto os que sobreviviam no Éfeso, apresentavam uma dieta majoritariamente vegetariana, em outras localizações havia o consumo de carne.

O que pode ser aproveitado

Embora o documentário apresente alguns estudos de forma que favoreça a dieta a base de plantas, o maior consumo de frutas, legumes, verduras, oleaginosas, leguminosas e cereais pode trazer benefícios para a saúde e rendimento esportivo.

Confira abaixo:

Aumento da disponibilidade de enqa

O carboidrato é a nossa principal fonte de energia, é importante para a execução desde tarefas do dia a dia, até como fonte de energia durante uma competição.

Incluir grãos e cereais, que são fontes desse macronutriente, em uma dieta com pouco carboidrato, pode contribuir para a melhora do desempenho em diversas áreas.

Porém é necessário destacar que existem estudos que não há diferença no rendimento esportivo entre vegetarianos e não vegetarianos, desde que tenham uma alimentação equilibrada e de acordo com a prática esportiva.

Aumento do consumo de nutrientes

Num cardápio plant based, há o grande consumo de frutas, legumes, verduras, cereais, feijões e castanhas, por isso pode contribuir para o aumento de vitaminas, minerais, antioxidantes e alimentos anti-inflamatório, que favorecem o funcionamento do organismo todo e do rendimento esportivo.

Pode contribuir para a diminuição de doenças metabólicas

Alimentos como as castanhas, amêndoas, abacate, pistache, são ricos em gorduras boas que possuem ação anti-inflamatória, contribuem para o aumento do colesterol bom (HDL) auxiliam na redução do colesterol ruim (LDL) e triglicérides.

Os alimentos como o farelo de aveia, frutas, legumes e leguminosas, possuem fibras solúveis que possuem a capacidade de ajudar a diminuir o colesterol sanguíneo, porque retarda a absorção de gorduras e reduz a absorção de colesterol e ainda pode ser aliada no controle glicêmico.

Menor consumo de gordura saturada

A gordura saturada está presente, principalmente nos alimentos de origem animal, como as carnes gordurosas, no leite e seus derivados.

Essa gordura pode contribuir para a formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos, aumento do colesterol e inflamação.

Por isso, a diminuição do consumo de alimentos de origem animal, principalmente os gordurosos e substituição por alimentos de origem vegetal, é benéfica.

Equilíbrio é a chave!

Como Explica a nutricionista Julia Marques para o site da Body Tech, quando feita de forma correta, a alimentação vegana é extremamente nutritiva, porém visões extremas não é a melhor forma de mostrar e explicar algo e que isso não pode ocultar os resultados do desempenho positivos de desportistas que consomem carne.

A dieta vegetariana devido a exclusão completa de um grupo alimentar e necessidade de adequação de outros alimentos, pode levar a deficiências nutricionais. Assim como uma dieta que inclui todos os grupos de alimentos, porém o seu consumo não é feito de forma adequada também pode.

Por isso, caso esteja procurando melhora do desempenho esportivo, ganho de massa magra, de saúde, ou até transição para algum tipo de dieta, procure um nutricionista para orientá-lo.

Referências

https://archive.archaeology.org/0811/abstracts/gladiator.html

https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0110489

https://jissn.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12970-019-0289-4

Entenda o que é a dieta dos gladiadores

—————————————————————————————————————————————–

Revisado por Priscila Boaventura: Nutricionista registrada (CRN-3 44332) especializada em Nutrição Clínica e Terapia Nutricional. Graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pós-graduada pela Faculdade Método de São Paulo. Atualmente é responsável pelo conteúdo técnico dos sites Natue e Mundo Verde, em seu tempo livre, gosta de praticar artes marciais.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.