Dieta sem glúten emagrece?

Dieta sem glúten

Em busca de um corpo perfeito cada dia mais tem se buscado opções de dietas para perda de peso, e uma das mais famosas atualmente é a dieta sem glúten. O glúten é uma proteína vegetal encontrada no centeio, no trigo, no malte e na cevada, e seu consumo tem sido relacionada com sintomas relacionados ao aumento do peso, de gordura corporal e de inchaço, entre outros.

Embora não haja evidências científicas que o glúten pode gerar esses problemas, acredita que a difícil digestão do glúten pelo organismo pode gerar um processo inflamatório que desencadeia todos os sintomas desagradáveis relacionados ao seu consumo.
Por outro lado, a perda de peso atrelada à dieta sem glúten ocorre devido a maioria dos alimentos que contenham glúten possuem elevado valor calórico, como os biscoitos, os pães e as massas, logo o ganho de peso se dá pela ingestão excessiva destes alimentos e não pela presença da proteína.

A ineficiência dessa dieta está ligada não somente ao fato de que é extremamente difícil deixar de comer alimentos fontes de glúten, porque estes são a base da dieta da maioria das pessoas, mas também porque ela pode causar o efeito contrário, em uma pesquisa publicada pelo American Journal of Gastroenterology em 2006, com pessoas celíacas, ou seja, pessoas que realmente possuem restrição ao glúten e portanto não devem consumi-lo, mostrou que após dois anos de uma dieta livre dessa substância, 81% dos participantes ganharam peso. Isso pode demonstrar que trocar alimentos que tenham glúten em sua composição por formulações isentas deste componente não promove benefício para quem não é celíaco.

Como funciona a dieta sem glúten

A dieta sem glúten consiste basicamente na retirada de todo alimento que tenha essa proteína em sua composição.

A maioria dos alimentos com glúten são fontes de carboidratos e altamente calóricos, e quando excluídos da rotina alimentar colaboram para perda de peso. É preciso ter cuidado para fazer a correta substituição, pois os alimentos sem glúten podem ser elaborados com ingredientes refinados, e baixo teor de fibras e de nutrientes.

Deve-se optar por alimentos de baixo índice glicêmico, como a batata doce e a mandioca, farinhas integrais, sementes, grãos e frutas, priorizando uma dieta variada, com muitos nutrientes.

Deve-se optar por alimentos de baixo índice glicêmico, como a batata doce e a mandioca, farinhas integrais, sementes, grãos e frutas, priorizando uma dieta variada, com muitos nutrientes.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.