Fuja das doenças causadas pela má alimentação

má_alimentação_capa

Correria, trânsito e horas extras de trabalho já se tornaram rotina para a maioria das pessoas. Para dar conta de todos os afazeres, muitos acabam substituindo o almoço ou jantar por lanches rápidos, que otimizem o tempo para fazer outra atividade. Outra prática comum é realizar as principais refeições na rua, já que cozinhar é uma tarefa que exige certo tempo e paciência. Todos esses fatores favorecem a má alimentação, que pode causar diversos problemas como dislipidemia, colesterol alto e obesidade.



Dislipidemia

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a dislipidemia é um distúrbio que altera os níveis séricos [quantidade presente no sangue] de lipídeos [gorduras], que é um dos fatores de risco para doenças cardiovasculares e aterosclerose, ou seja, o acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos. Essas alterações podem ocorrer tanto nos triglicerídeos quanto no colesterol total, LDL e HDL, isolados ou não.

Existe dois tipos de dislipidemia: a primária e a secundária. A primária ocorre a partir de causas genéticas, enquanto a secundária é causada pelo uso de medicamentos ou por outras doenças como diabete, obesidade, alcoolismo, insuficiência renal crônica e hipotireoidismo.

No geral, para ter melhora no quadro, o ideal é diminuir o peso corporal, praticar atividade física, abandonar o cigarro e mudar a alimentação, reduzindo a ingestão de carboidratos simples [arroz branco, macarrão, biscoitos e açúcar refinado], gordura saturada [requeijão, bacon e manteiga] e gorduras trans [como sorvetes, biscoitos recheados e refeições prontas]. Também é fundamental realizar o acompanhamento com um médico e um nutricionista.

Colesterol alto

O colesterol é uma gordura presente no organismo, mas também é obtido por meio da ingestão de alimentos de origem animal, como carnes, leites e derivados, manteiga e ovos.

Existem dois tipos de colesterol: o HDL, conhecido como colesterol bom, e o LDL, conhecido como colesterol ruim. No entanto, os níveis elevados de colesterol no sangue podem causar doenças coronarianas, principalmente quando estão associados com pressão alta, diabete, obesidade e sedentarismo.

Para verificar se você está com o colesterol alto, basta seu médico solicitar um exame de sangue. Os valores desejáveis de colesterol são de até 200mg/dL, de HDL colesterol o ideal é acima de 40mg/dL e até 60mg/dL e de LDL colesterol é até 100mg/dL.

Para controlar os níveis de colesterol e prevenir sua elevação sanguínea, pratique exercícios físicos, tenha uma alimentação rica em fibras e vegetais, não fume e evite o consumo de bebidas alcoólicas.

Obesidade

A obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura corporal, que vem crescendo cada vez mais no mundo inteiro. Um dos cálculos feitos para confirmar a obesidade é o IMC, que é fácil, prático e rápido de calcular, mas são necessários outros exames para avaliar o real estado de saúde da pessoa.

Além de levar à má qualidade de vida, a obesidade pode provocar doenças graves, como câncer, doenças cardiovasculares, diabete tipo 2 e problemas renais. Para o tratamento é importante identificar as causas da obesidade, seja má alimentação, fatores genéticos, sedentarismo ou condição socioeconômica e emocional, como a depressão. Por isso, é importante avaliar o problema de maneira global, sem focar apenas na alimentação.

Para evitar que você tenha qualquer problema relacionado à má alimentação, fique atento ao que coloca no prato. Priorize as gorduras boas presentes no óleo de coco, azeites, abacate e oleaginosas, consuma fibras para ajudar na redução do colesterol e evite a ingestão excessiva de gorduras saturadas, principalmente carnes com gorduras aparentes e frango com pele, além de carboidratos simples, como doces. Não se esqueça das frutas e verduras. Inclua na sua rotina os exercícios físicos e reduza a ingestão de álcool.

 


Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.