Flexitarianismo: Um novo estilo de vida

Flexitarianismo: Um novo estilo de vida

O Flexitarianismo é mais conhecido por indivíduos que não querem partir direto para um estilo de vida vegetariano ou vegano, funciona como adaptação tanto para o estilo de vida, social, econômico ou por questões de saúde. Entretanto, essa dieta também é adotada para pessoas que querem voltar a introduzir aos poucos a carne em sua alimentação. Conheça mais sobre essa dieta que é a tendência atual e quais alimentos devem ser consumidos para manutenção da saúde.

O que é Flexitarianismo?

O termo faz a junção do flexível com o vegetarianismo, podendo ser conhecida também como “semi-vegetarianismo” ou “Reducitarianismo”. Quem segue esse estilo de vida se baseia no consumo de frutas, legumes, cereais integrais e proteínas vegetais, e ingestão eventual de carnes e peixes, podendo ser uma opção para datas consideradas especiais ou uma vez por semana. Os flexitarianos priorizam o sustentável e a origem dos alimentos.

O Flexitariano é considerado vegetariano?

Não, mas apesar de não serem considerados vegetarianos, a iniciativa da redução no consumo de alimentos de origem animal, vem sendo apoiada por entidades vegetarianas, como no movimento “Segunda sem carne”, na qual a proteína animal é retirada da dieta uma vez por semana visando, em especial, a diminuição do impacto ambiental gerado, principalmente pela pecuária.

Benefícios do Flexitarianismo

Estudos sugerem que o consumo de carnes, principalmente as processadas, estão relacionadas à um maior risco de doenças cardíacas e diabetes. Apontam ainda que pessoas que consomem dietas vegetarianas (flexitariana, lacto-ovo vegetariana ou vegetariana) tenham menor risco de diabetes quando comparados aos indivíduos onívoros, levando em consideração fatores como estilo de vida e socioeconômicos.

A redução da sua ingestão de carne pode auxiliar na perda de peso corporal, em consequência do aumento de alimentos mais naturais e menos processados, bem como na prevenção de doenças cardíacas e na saúde em geral. Isso acontece devido ao sal (em carnes processadas), antibióticos e produtos químicos que são adicionados.

O bem-estar do animal também é priorizado nessa dieta, pois as pessoas preferem consumir carnes orgânicas, onde o animal foi criado sem estresse e livre de substâncias químicas. E por fim, o meio ambiente, pois o consumo de carnes tem um grande impacto no custo ambiental.

Ficou disposto a seguir essa dieta? Veja algumas dicas práticas que podem ajudar na escolha dos alimentos e evitar possíveis deficiências nutricionais.

O que comer na dieta flexitariana?

Recomenda-se a inclusão na dieta de oleaginosas (castanhas avelã), proteínas de origem vegetal (grão de bico, feijão, lentilha), as sementes (abóbora, girassol) e os cereais não refinados (farinha de aveia, de coco) e tofu. Alguns autores apontam o consumo limitado de carne, peixe e ave até três vezes por semana.

Como prevenir a deficiência de vitamina B12 e ômega-3 na dieta flexitariana?

Os alimentos de origem animal são os únicos fornecedores de vitamina B12 com função ativa no organismo. O consumo esporádico de alimentos de origem animal pode ser suficiente para manter os níveis adequado de B12, mas o ideal é realizar exames periódicos e, iniciar a suplementação caso haja necessidade.

Já o ômega 3 é possível adquirir por meio do consumo de, no mínimo, duas porções de peixes de águas frias e profundas por semana ou de fontes vegetais, sendo o óleo de linhaça a melhor opção. Segundo a Sociedade Brasileira Vegetariana, o consumo de 1 colher (sopa) de óleo de linhaça ao dia em média é capaz de suprir a demanda.

Há outras opções de alimentos fontes de ômega-3 vegano que podem ser incluídos na dieta, tais como:

  • Sementes de chia
  • Linhaça triturada
  • Algas e microalgas
  • Amêndoas e nozes
  • Leguminosas (feijão, soja, ervilha, grão de bico)
  • Vegetais verde escuro (espinafre, brócolis e couve-flor)
  • Abóbora
  • Tofu.

É importante destacar que o acompanhamento com o médico e nutricionista devem ser feitos para melhor compreensão do assunto.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.