Nutrição e o coração- 6 dicas para redução do colesterol!

Nutrição e o coração- 6 dicas para redução do colesterol!

Uma alimentação saudável é o principal ingrediente para a promoção da saúde e também para a redução do risco de doenças crônicas, já que muitas delas, como pressão alta, diabetes, colesterol, triglicerídeos elevados e obesidade estão completamente ligadas ao funcionamento do coração.

O coração é um órgão muscular e por meio da sua contração, garante o bombeamento do sangue que é fundamental para que nutrientes e oxigênio cheguem a todas as células e que os resíduos do metabolismo sejam levados até locais adequados para sua eliminação. Assim quando acontece algum problema nesse órgão ou algo que prejudique a passagem do sangue e consequentemente dos nutrientes, todo o organismo acaba sendo prejudicado. 

Os altos níveis de colesterol no sangue são uma das principais causas de doenças cardiovasculares. Entenda o que é o colesterol , quais são seus tipos, fontes alimentares e dicas para reduzir ou manter o controle adequado do  colesterol.

Colesterol: o que é?

O colesterol pode ser considerado um tipo de gordura (lipídio) produzido pelo organismo, que desempenha funções essenciais como a produção de hormônio.

Existem dois tipos de colesterol:

  • LDL: conhecido como ruim por entrar nas artérias, provocando seu entupimento.
  • HDL: conhecido como bom, por retirar o excesso de colesterol das artérias, impedindo seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura.

Colesterol “ruim”

Altos níveis de LDL colesterol são um importante fator de risco para problemas no coração e entre as complicações decorrentes está a aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura nas artérias que impede a passagem do sangue e pode causar problemas, como infarto. Também estão relacionados a outros tipos de complicações, tais como:

  • Doenças da principal artéria do corpo, a aorta
  • Demência 
  • Acidente vascular encefálico, mais conhecido como derrame cerebral

Por outro lado, níveis altos de HDL, o considerado bom colesterol, podem conferir algum grau de proteção para estas doenças.

O que causa o aumento do colesterol?

Geralmente o excesso de colesterol está associado à obesidade, má alimentação e falta de exercícios físicos.

Na alimentação, o consumo excessivo de gorduras, principalmente das saturadas e gordura trans, presentes em alimentos de origem animal e produtos ultraprocessados,  são os que mais favorecem o aumento desses níveis de colesterol ruim. Veja alguns exemplos:

  • Biscoitos
  • Margarina
  • Salgadinhos
  • Embutidos (presuntos, salames e afins
  • Comidas congeladas
  • Bolos prontos
  • Sorvete

Sabendo do problema que estes altos níveis de colesterol podem causar no organismo, celebra-se no dia 08 de agosto, o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, um alerta para os riscos de doenças.

Então, o que pode ser feito para controlar ou diminuir os níveis de colesterol no sangue? Confira 6 dicas que podem ajudar!

1. Mudar os hábitos alimentares!

É importante que a alimentação seja revista e que se dê preferência ao consumo da comida de verdade, como por exemplo:

2. Pratique exercícios físicos regularmente!

A prática regular de exercício físico favorece o aumento do HDL colesterol, o responsável por retirar o excesso de colesterol da circulação, levando de volta para o fígado, que então vai remover essa gordura do organismo.

3. Atenção às carnes!

Quando se opta por cortes mais magros, como o peito de frango, peixes, carnes vermelhas magras, como lagarto, filé mignon, coxão duro ou chã de fora, coxão mole ou chã de dentro, patinho, alcatra, maminha de alcatra e músculo e até mesmo alguns cortes suínos, desde que consumidos com moderação e não fritos, podem continuar sim fazendo parte da rotina alimentar. 

Dê preferência às versões grelhadas, cozidas ou assadas onde uma quantidade mínima de óleos e gorduras são necessárias para o seu preparo;

4. E os óleos podem?

Depende do tipo de óleo, evite aqueles em garrafas plásticas, refinados e transgênicos. As melhores opções hoje para preparo de alimentos são o azeite, óleo de coco e óleo de abacate, mas ainda assim, sempre com moderação e não vale para frituras, aquele processo de imersão do alimento em grandes quantidades de óleo.

5. Invista em alimentos ricos em fibras!

Os cereais integrais, frutas, legumes, verduras, as sementes de chia, linhaça e outros são ricos em fibras e essas atuam como “vassourinhas” no sistema digestivo. 

Elas têm capacidade de “puxar” o excesso de gorduras e assim, favorecer sua eliminação, auxiliando no controle dos níveis de colesterol no sangue. 

Duas dicas: os farelos são as apresentações dos cereais com maior quantidade de fibras. Não esqueça do consumo adequado de água.

6. E o ômega 3?

Essa é uma gordura considerada boa, que o organismo humano não tem capacidade de produzir e que deve ser consumida através de alimentos, como os peixes de águas frias e profundas, como sardinha, cavalinha, salmão e o outros e também das sementes de chia e linhaça. 

O consumo de ômega-3 está relacionado a redução dos níveis de colesterol, triglicerídeos e também redução da pressão arterial, ou seja, vários pontos positivos para o coração.

Referências:

cuidai.com.br/colesterol-exercicios/

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.