Óleos funcionais dão saciedade e ajudam a emagrecer

Na hora de cozinhar, muitas pessoas utilizam óleos refinados, como de soja, milho e canola, para refogar os alimentos e até temperar saladas. No entanto, existem opções muito mais saudáveis e que ainda oferecem benefícios à saúde.

Os óleos funcionais – como o óleo de coco, o óleo de cártamo e o óleo de abacate – ajudam a manter a saciedade e, assim, auxiliam no processo de emagrecimento e na perda de peso.



Veja alguns tipos de óleos funcionais:

Óleo de linhaça

saiba mais sobre o óleo de linhaça

É um dos óleos mais utilizados e estudados. Pode ser consumido na forma líquida, em saladas ou frutas, e também na forma de cápsulas. O principal benefício do óleo de linhaça é que ele é rico em ômega 3 na forma de ALA (Ácido Alfa-Linolênico). Dentro do corpo, o ALA passa por diversas reações bioquímicas em diversas enzimas para ser convertido na forma ativa do ômega 3. Essas enzimas que fazem a conversão do ALA dependem de diversos nutrientes. Por isso, além do consumo do óleo de linhaça, é importante ter uma alimentação variada em vitaminas e minerais para fazer essa conversão corretamente.

O óleo de linhaça ainda possui uma proporção adequada entre ômega 3 e ômega 6, o que ajuda a equilibrar o organismo, já que atualmente a alimentação brasileira tem um grande consumo de ômega 6 em relação ao ômega 3.

O ômega 3 tem uma importante ação anti-inflamatória e reduz agregação plaquetária, melhorando a fluidez sanguínea e ajudando a prevenir trombose. Também atua na saúde cerebral e na melhora cognitiva da memória e do aprendizado, além de ser importante para melhorar a permeabilidade das células, ou seja, torna a membrana da célula mais permeável ao acesso de água e nutrientes, por isso ajuda a melhorar a nutrição celular.

Óleo de abacate

Saiba mais sobre o óleo de abacate

O óleo de abacate é antioxidante, ajuda a neutralizar os radicais livres e ainda contém ácido oleico, vitamina E e vitamina A. Esses nutrientes ajudam a modular hormônios muito importantes que fazem a lipólise, ou seja, a queima de gordura.

Como utilizar o óleo de abacate?

3 minutos antes das refeições ou da atividade física.

Óleo de cártamo

Saiba mais sobre o óleo de cártamo

O óleo de cártamo tem gerado muito interesse por conta do emagrecimento, mas seu uso precisa ser prolongado, contínuo e frequente para oferecer esse benefício ao organismo. Também é preciso lembrar que seu consumo deve estar associado à atividade física.

O óleo de cártamo é mais encontrado na forma de cápsula. O ideal é que seja consumido durante as refeições para melhorar sua absorção e biodisponibilidade no nosso organismo. Se for consumido em jejum, é possível que não consiga aproveitar todos os seus benefícios.

Óleo de coco

Saiba mais sobre o óleo de coco

É uma gordura saturada que tem comportamento de gordura monoinsaturada, ou seja, pode aumentar o HDL (colesterol bom) e reduzir o LDL (colesterol ruim). Também é uma boa gordura para o reforço cardiovascular e é um termogênico natural.

Muito utilizado por praticantes de atividades física, o óleo de coco é um TCM (triglicerídeos de cadeia média), ou seja, possui uma quantidade intermediária de energia e caloria. 50% do óleo de coco é composto por ácido láurico, substância que é convertida em monolaurina no organismo com propriedades antifúngicas, antibacterianas e antivirais. O ácido láurico é encontrado em grande quantidade no leite materno e, por esse motivo, possui importante papel no reforço imunológico.



Como consumir óleo de coco?

Por ser um óleo versátil, pode ser consumido diretamente na colher ou como substitutivo de óleos na preparação de bolos, panqueca, muffin e pães. Sem contar que pode ser adicionado em shakes, smoothies e como cobertura de tubérculos (mandioca, batata-doce, inhame e cará).

Óleo da semente de uva

Saiba mais sobre o óleo de uva

Contém grande quantidade de vitamina E, que tem ação antioxidante no organismo. Além disso, é rico em uma substância chamada trans-resveratrol, que também tem importante ação antioxidante. Ainda auxilia na prevenção do mal de Alzheimer e ajuda a melhorar a capacidade cognitiva, principalmente em idosos.

Qual é o melhor óleo para cozinhar e fritar?

Atualmente, o óleo de coco é o melhor óleo para ser submetido a altas temperaturas, já que não oxida, diferentemente de outros óleos.

Quais óleos evitar?

É bom evitar os óleos de canola, de milho e de soja, já que esses óleos geralmente são feitos de sementes transgênicas, que foram geneticamente modificadas. Sem contar que o óleo de milho e o óleo de soja são fontes de ômega 6 – que já consumimos a quantidade ideal ou até superior nas refeições.

Lembre-se que nenhum alimento age sozinho no corpo, por isso, quanto mais colorido for o prato, maior a quantidade de nutrientes. Sem contar que um litro e meio de água no corpo é somente para fazer o transporte de nutrientes, ou seja, é bom consumir muito mais. Uma recomendação boa é consumir 200 ml de água a cada 1 hora.

Confira a íntegra do bate-papo das nossas nutricionistas sobre os tipos óleos para inserir na alimentação:



Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.