Por que o café da manhã é a refeição mais importante?

Por que o café da manhã é a refeição mais importante?

Apesar de vivermos ouvindo que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, muitos acabam pulando essa refeição com justificativas como: falta de apetite ao acordar, falta de tempo e até indisposição para prepará-lo. 

A outra parcela de brasileiros que realizam o café da manhã, fazem dele uma refeição básica: café, leite e pão com manteiga. 

Mas será que esse é o modelo ideal para a refeição mais importante? Será que pular o café da manhã emagrece? 

Vamos explicar por que vale a pena investir seu tempo no café da manhã e te mostrar que abrir mão dele pode não ser uma boa ideia. 

Por que o café da manhã é a refeição mais importante?

O café da manhã – ou desjejum – é a primeira refeição do dia, e todos sabemos que a alimentação adequada é a forma do nosso corpo obter energia e nutrientes para as atividades do dia a dia. 

Acontece que, o período entre a última refeição do dia anterior e o acordar do dia seguinte é basicamente um tempo em que nosso corpo permanece em jejum. 

E apesar do repouso, estamos gastando energia sim, com as funções orgânicas do corpo, afinal nossos órgãos continuam trabalhando enquanto dormimos – o coração bate, o cérebro processa as informações do dia, os pulmões cuidam do processo de respiração – E tudo isso gera um gasto de energia para nossas células. 

Quando acordamos e não damos mais nutrientes para o nosso corpo, ele começa a agir de forma mais “lenta” para poupar energia.  Isso explica sintomas como cansaço, dor de cabeça, tontura, dor de estômago, enjoos, e até dificuldade de concentração. 

Mas não se engane, comer muito antes de dormir, ou assaltar a geladeira durante a noite não ajuda nesse processo para gerar energia no dia seguinte. 

É muito importante que ao iniciar seu dia você esteja bem alimentado, praticando bons hábitos para se sentir mais disposto. 

Pular o café da manhã faz mal?

Como já dissemos, pular o café da manhã ou ingerir alimentos pobres em nutrientes pode gerar sintomas que atrapalham o seu dia, e pior que isso, atrapalha os hábitos diários, descompensando toda a alimentação do dia.

Um estudo mostrou que, quando não se toma um café da manhã eficiente, tendemos a ingerir uma quantidade muito maior de alimentos no almoço e ao longo do dia: e como o organismo está carente por energia, vai pedir isso da forma mais rápida – aumentando à vontade por doces, alimentos ricos em açúcares e de alto índice glicêmico. 

A pesquisa aprovada pela Associação Americana do Coração mostra que isso contribui para que pessoas que pulam o desjejum tenham grandes chances de desenvolverem problemas cardiovasculares e diabetes tipo 2.

Mas pular o café da manhã não ajuda a emagrecer?

Não. Muito pelo contrário. O jejum prolongado ativa um mecanismo de adaptação no nosso corpo, então o que acontece é o seguinte: o organismo entende o jejum como privação, e “pensa” que precisa guardar gordura na região abdominal para ter uma fonte de energia reserva, já que ele pensa que você vai ficar sem comer.  E pior ainda, você acaba perdendo músculo para isso. 

Se você não se alimenta pela manhã, corre o risco de comer além da necessidade durante o dia para compensar e ainda armazenar tudo isso em forma de gordura. O que não é uma boa ideia, não é?

Lembrando que existem protocolos eficazes de jejum intermitente para perda de peso, que levam em consideração outros fatores, como a quantidade e/ou qualidade do que é consumido em determinado intervalo de tempo.

Benefícios do café da manhã

Tomar um café da manhã equilibrado e nutritivo te ajuda no rendimento diário e gera muitos benefícios:

  • Repõe energia e nutrientes como vitaminas e minerais
  • Ajuda a equilibrar a alimentação do dia inteiro
  • Auxilia na capacidade de atenção, concentração e desempenho cognitivo – inclusive de crianças
  • Estimula o metabolismo para o dia inteiro
  • Está associado a menor risco de doenças coronarianas, sobrepeso e obesidade

O que comer no café da manhã?

Um café da manhã saudável é muito mais que o simples cafezinho ou o pão com manteiga. Ele deve fornecer diferentes nutrientes, vitaminas e minerais para você começar seu dia bem. 

Para fazer escolhas inteligentes, precisamos pensar além do carboidrato – gordura – proteína. Vamos pensar também nos grupos alimentares:

  • Carboidratos e cereais, pães, e fibras: Prefira pães e cereais integrais, pois contém fibras e ajudam na saciedade. Outras boas opções são também tapioca (o ideal é consumir com recheio fonte de proteínas), sementes como chia, linhaça e quinoa, pães feitos com farinha de arroz integral, mandioca ou batata doce, aveia, granola.
  • Proteínas e leites, iogurtes e queijos: ovos, omeletes, leite, queijos, iogurtes, patês – especialmente os de grãos –  derivados de soja, requeijão, etc.
  • Frutas: ricas em vitaminas e minerais, pode também optar por sucos naturais, mas prefira as frutas in natura pois preservam as fibras.
  • Gorduras essenciais: como castanhas, nozes e abacate. 

O importante é variar, fazer substituições saudáveis e consumir pelo menos um item de cada grupo. 

Caso você não tenha o costume, pode começar comendo um pouquinho por dia até evoluir para um café da manhã completo.  

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Revisado por Priscila Boaventura: Nutricionista registrada (CRN-3 44332) graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pós-graduada em Nutrição Clínica e Terapia Nutricional pela Faculdade Método de São Paulo. Atualmente é responsável pelo conteúdo técnico dos sites Natue e Mundo Verde, em seu tempo livre, gosta de praticar artes marciais.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.