Probióticos em benefício da saúde mental

Probióticos em benefício da saúde mental

Já vem-se discutindo a algum tempo os impactos que o intestino causa no organismo  e hoje sabemos que o funcionamento adequado do corpo humano, como um todo, depende do quão saudável está o intestino do indivíduo, garantindo assim, não só a absorção de nutrientes, papel clássico deste órgão, mas atuando em outros sistemas, como o imunológico, desempenhando papel também na saúde mental e vários outros, não à toa, sendo considerado nos últimos tempos, o “segundo cérebro”

Confira qual a relação entre o cérebro e o intestino, substâncias envolvidas, quais são os probióticos envolvidos no tratamento das doenças mentais, além das fontes alimentares.

Relação entre o cérebro e o intestino

Até pouco tempo atrás era difícil imaginar como o intestino poderia ajudar no tratamento de transtornos mentais, infelizmente tão comum nos dias atuais, como depressão, ansiedade e outros. 

A prevalência de transtornos depressivos no Brasil atinge mais de 11 milhões de pessoas, o equivalente a 5,8% por aqui e a 20% da população mundial, impactando no meio social como a segunda patologia que mais causa prejuízo econômico e social no campo da saúde.

Um dos pontos mais estudados da relação intestino-cérebro são os efeitos que os probióticos, as famosas bactérias boas que devem estar presente em maiores proporções no intestino tem nesse eixo. 

Além do papel de defesa, absorção de nutrientes e melhora na produção de vitaminas, essas bactérias no intestino produzem muitas substâncias, incluindo neurotransmissores como serotonina e acetilcolina, os quais podem afetar diretamente a função cerebral e a saúde mental e ajudar a explicar os benefícios dos probióticos. 

A serotonina é um neurotransmissor que atua no cérebro, estabelecendo comunicação entre as células nervosas, podendo também ser encontrada no sistema digestivo e nas plaquetas do sangue. Esta molécula é produzida a partir de um aminoácido chamado triptofano, que é obtido através dos alimentos. Boas fontes de triptofano são, cacau, damasco, banana, ovos, castanhas, aveia e outros.

A serotonina atua na regulação de diversas funções biológicas, com destaque para:

  • Humor
  • Sono
  • Apetite 
  • Ritmo cardíaco
  • Temperatura corporal
  • Sensibilidade 
  • Funções cognitivas 

Desta maneira, quando se encontra numa baixa concentração, pode causar mau humor, dificuldade para dormir, ansiedade ou mesmo depressão.

Probióticos no tratamento de problemas mentais

Uma das teorias propostas para o uso dos probióticos no tratamento de problemas mentais é que a microbiota destas pessoas tem diversas alterações e essas favorecem o estresse crônico, depressão e ansiedade. Isso, por sua vez, resulta no aumento da inflamação pelo corpo, na ativação de uma resposta imune e na alteração de níveis de neurotransmissores como a serotonina, provocando mudanças no cérebro, no humor e no comportamento

Pelos estudos realizados até o momento, acredita-se que as espécies com potencial de efeito psicobiótico, ou seja, probióticos com efeitos no sistema nervoso, são os Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus casei, Lactobacillus helveticus, Bifidobacterium lactis, Bifidobacterium longum e Bifidobacterium bifidum.

Fontes de probióticos

Os probióticos, como já visto são microorganismos vivos, bactérias boas que podem ser consumidos na forma de suplementos (cápsulas e sachês) e também nos alimentos:

  • Iogurte natural: principal e mais acessível fonte de probióticos.
  • Kefir: é um produto fermentado com levedura e bactérias do bem. É possível encontrar, na parte ainda na forma de doação entre as pessoas, o Kefir de leite, que fica semelhante ao iogurte quando preparado com leite, mas sem conservantes e aditivos industrializados e o Kefir de água.
  • Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto ou chá verde. Hoje sua procura é bastante comum para substituir refrigerantes e até mesmo cerveja, já que é uma bebida levemente ácida. Mas vale lembrar sempre que seu consumo deve ser feito com moderação.
  • ​Produtos orientais à base de soja, legumes e verduras comprados em lojas especializadas, que devem ser consumidos moderadamente.

Mais testes e pesquisas ainda precisam ser feitos para que o uso dos probióticos seja comprovado como mais uma forma de tratamento para as alterações mentais, mas essa nova possibilidade já traz esperanças como uma forma de melhorar os tratamentos tradicionais, principalmente sem os efeitos colaterais dos medicamentos utilizados atualmente.

Referências:

Moraes ALF, Bueno RGAL, Fuentes-Rojas M, Antunes AEC. Suplementações com probióticos e depressão: estratégia terapêutica? Ver Ciênc Med. 2019;28(1):31-47. http://dx.doi.org/10.24220/2318-0897v28n1a4455

https://saude.abril.com.br/mente-saudavel/psicobioticos-uma-nova-alternativa-para-garantir-a-saude-mental/

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.