Própolis para imunidade e benefícios na Covid-19

Própolis para imunidade e benefícios na Covid-19

Ainda não sabemos quais alimentos e se os alimentos, de fato, evitam ou previnem o contágio do Covid-19, mas, sabemos que um organismo nutrido e com o sistema imunológico muito bem construído, a resposta contra o agente agressor é mais favorável

Marcela Mendes, nutricionista da Rede Mundo Verde, explica como a própolis pode ajudar no bom funcionamento do sistema imunológico e seu papel na Covid-19.

O que é o sistema imunológico?

O sistema imunológico nada mais é que uma complexa junção de células e moléculas distribuídas por todo o nosso organismo.

Estas células são capazes de reconhecer diferentes substâncias e a partir disso, desenvolvem uma resposta eficiente contra patógenos (agentes causadores de doenças), levando a sua destruição ou inativação. 

Trata-se de uma barreira estratégica do nosso organismo contra microorganismos que podem nos causar inúmeros problemas e doenças.

Percebe o quanto cuidar da nossa imunidade é importante? Existem muitas formas de cuidar da nossa imunidade, mas aqui, vamos te contar sobre a própolis, tão importante para nossa saúde”, diz a nutricionista.

O que é própolis? 

Trata-se de uma resina produzida pelas abelhas, de ação antibacteriana, antiviral, antioxidante, antifúngica e imunomoduladora. 

Pode estar diluída em álcool (alcoólica) ou em água (aquoso).  Conheça os tipos de própolis: 

  • Própolis verde – Alecrim do campo
  • Própolis vermelha – Rabo de bugio 
  • Própolis silvestre – diferentes floradas

A própolis aquosa é aquela onde se utiliza água para extrair os compostos bioativos e a alcoólica, utiliza o álcool para esse processo. 

Extratos alcoólicos contém mais compostos benéficos à nossa saúde ao ser comparada com a versão diluída em água. No entanto, de acordo com Marcela, “o extrato de própolis aquoso é mais indicado para crianças, pessoas com esteatose hepática (fígado gorduroso) ou outros problemas no fígado, além de gestantes”. 

A verde, é a mais estudada e consumida porque é padronizada com uma substância chamada Artepelin C, um composto de ação anti-inflamatória e também por Apigenina, importante para controlar a compulsão por doces e carboidratos. 

A vermelha também é interessante por sua atuação na imunidade e efeito anti-inflamatório”, explica a nutricionista.

Própolis e Covid-19

Vários estudos mostram seus benefícios na prevenção do surgimento de células cancerígenas, ação antioxidante, anti-inflamatória, proteção cardiovascular, hepatoprotetora e ação imunoestimulante, reforçando as defesas do nosso organismo.

Dessa maneira, a própolis também se mostra promissora auxiliando no tratamento de várias doenças (incluindo doenças respiratórias, hipertensão, diabetes e câncer) que são particularmente perigosas em pacientes com COVID-19.

Um estudo realizado no Brasil, com 124 pacientes em tratamento padrão para o coronavírus, testou a suplementação de própolis nestes pacientes, os resultados demonstraram uma diminuição significativa no tempo de internação após a intervenção.

O mesmo estudo destacou que as propriedades da própolis podem ajudar a reduzir os processos inflamatórios causados por uma enzima (PAK1) que está associada a uma maior necessidade de cuidados intensivos e com altas taxas de mortalidade. Entretanto, os autores enfatizam o curto período de tempo do estudo, limitando a possibilidade de avaliação dos efeitos em longo prazo.

Apesar de não existem estudos científicos comprando o efeito e uso da própolis para combate ao Covid-19, sabemos que ela atua fortemente na imunidade e que um sistema imunológico é muito importante para nossa proteção. Por isso, aproveite e introduza própolis no dia a dia e se proteja”, conta Marcela. 

Recomendação de consumo:

Não existe um consenso ou recomendação para o consumo diário de própolis, porém, existe uma recomendação do consumo entre 10 a 30 gotas diariamente, que podem ser diluídas ao longo do dia. Por exemplo: 10 gotas pela manhã, 10 gotas à tarde e mais 10 gotas no chá, antes de dormir. 

Referências: 

pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11746834/

sciencedirect.com/science/article/pii/S0753332220308155?via%3Dihub

https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.01.08.20248932v1.full

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.