Refluxo em bebê: o que causa e como tratar

Refluxo em bebê: o que causa e como tratar

O que é refluxo?

O refluxo gastroesofágico (RGE) ou doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), é definido pelo fluxo contrário e repetido do conteúdo gástrico para o esôfago e até mesmo para a boca e vias áreas superiores, ou seja, ocorre a volta do conteúdo do estômago. Sendo frequente o refluxo em bebês e crianças, e com presença de regurgitações. Veja como identificar e tratar o refluxo.

Refluxo em bebê

O RGE até o 1° ano de vida, em maior parte dos casos apresenta-se de forma fisiológica, devido uma imaturidade do sistema do bebê e nos mecanismos de antirrefluxo, ocorrendo principalmente após as refeições com presença de leite.

Em muitos casos ocorre evolução satisfatória, sem implicações futuras no desenvolvimento e crescimento do bebê e da criança.

É importante ter uma atenção pois se for recorrente, pode evoluir para um quadro patológico e apresentar complicações indesejáveis, como dificuldade no crescimento, dor abdominal, irritabilidade, hemorragias digestivas, broncoespasmo, dentre outras.

Como saber se o bebê tem refluxo

Entender o que é, saber identificar os sinais e sintomas e o que causa o refluxo é de extrema importância, mas quais são os da forma fisiológica e o da patológica?

Fisiológico: Histórico de regurgitações, sem relatos de outras queixas associadas e sem alterações no exame físico.

Patológico: Além dos próprios vômitos e regurgitações, são:

  • Irritabilidade
  • Choro constante
  • Alterações no sono
  • Interrupções das mamadas
  • Tosse e chiado
  • Ganho de peso insuficiente
  • Anemias
  • Sangramentos digestivos evidentes ou ocultos
  • Broncoespasmo persistente
  • Pneumonias de repetição

Como tratar o refluxo?

Os tratamentos podem variar de acordo com a origem do refluxo, variando desde medidas simples até tratamento com a dieta e/ou medicamentos.

Confira abaixo mais informações sobre o que é bom para o refluxo em bebê:

Posição após as refeições

A posição da criança é algo considerado fundamental nesses casos.

Colocar o bebê em um ângulo em torno de 30 graus e deixá-lo com a postura ereta principalmente no período após as refeições. Não deite o bebê logo após mamar, mantenha-o em posição vertical de 15 a 20 minutos.

Fórmulas Infantis

Crianças que consomem fórmulas infantis, e que não estão em aleitamento materno exclusivo, podem optar pelas fórmulas antirrefluxo (AR), que são feitas especialmente para refluxo, e auxiliam no tratamento.

Alimentação espessada

Os bebês com mais de 6 meses, que já iniciaram a introdução alimentar, devem receber os alimentos de forma espessa, com consistência pastosa (papas/purês), é possível utilizar espessantes, como amido de milho e farinhas para auxiliar se for necessário, esse cuidado pode ajudar na redução do refluxo.

Conheça mais dicas de alimentação em: “Dez passos para uma alimentação saudável – Guia alimentar para crianças menores de dois anos”.

Por fim, em casos mais acentuados de refluxo, o tratamento com remédios ou cirurgia, são opções de condutas possíveis.

Dicas para evitar o refluxo:

  • Evitar balançar a criança
  • Evitar roupas que apertem
  • Se necessário eleve a cabeceira da cama

Para saber um pouco mais sobre refluxo basta clicar aqui.

Consulte o pediatra e nutricionista para avaliação e indicação do tratamento adequado de forma individualizada.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.