Conheça os riscos das hepatites virais

hepatites_virais_capa

A hepatite é a inflamação do fígado, uma doença silenciosa causada pelo álcool, medicamentos e micro-organismos, como bactérias e vírus. No entanto, as hepatites virais são as que mais merecem atenção. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as infecções pelos vírus das hepatites B e C são dez vezes mais numerosas que as causadas pelo HIV. A falta de informação e a ausência de sintomas agravam ainda mais esse cenário.

Como o vírus pode evoluir por mais de 30 anos sem que o paciente saiba, muitas vezes a doença é descoberta apenas em estágio avançado. “Por ser a única maneira de diagnosticar a doença e por, na maioria das vezes, não apresentar sintomas, é importante realizar os testes para hepatite B e C, por meio de exame de sangue específico”, explica Celia Regina Cicolo da Silva, médica infectologista e sanitarista da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, coordenadora do Programa Municipal de Hepatites Virais.

Em virtude do Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, celebrado dia 28 de julho, e para reforçar a necessidade de prevenção e vacinação, a Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) promove até 31 de julho atividades de orientação nos serviços de saúde, divulgando medidas de controle da doença. Além disso, para combater a hepatite C, o Ministério da Saúde anunciou esta semana um novo tratamento que aumenta as chances de cura e diminui o tempo de tratamento dos pacientes. A terapia estará disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) até dezembro deste ano.

O que são hepatites virais

As hepatites virais são doenças inflamatórias do fígado, causadas pelo uso de alguns remédios, álcool e por vírus específicos, como o Vírus da Hepatite B (VHB) e o Vírus da Hepatite C (VHC). No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C, mas também existem os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia.

Como são transmitidas as hepatites B e C

  • Uso de agulhas e seringas não descartáveis
  • Escova de dente, barbeadores e objetos perfurocortantes compartilhados
  • Transfusão de sangue e hemodiálise sem controle de qualidade
  • Sexo sem o uso de preservativo
  • Vertical (da mãe para o filho durante o parto) e pelo leite de mães portadoras do vírus

Como se prevenir das hepatites virais

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, algumas medidas são importantes para a prevenção da infecção:

  • Uso de preservativo em todas as relações sexuais
  • Não compartilhar seringas, agulhas, escova de dente, lâminas de barbear ou de depilar
  • Usuários de drogas inaláveis não devem compartilhar cachimbos e canudos
  • Utilização de material descartável ou esterilizado nos serviços de saúde
  • Utilização de material descartável para realizar tatuagens, colocação de piercing e no salão de beleza

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.