Superfood: veja como incluir os superalimentos na sua alimentação

Superfood: veja como incluir os superalimentos na sua alimentação

O conceito superfood, ou superalimentos, não é um termo científico e muitas vezes é comparado ao termo “alimento funcional”.

Os alimentos considerados superfood são denominados assim, pois além de fornecerem nutrientes, são fontes de compostos com ação antioxidante, fornecendo ainda mais benefícios à saúde comparada aos outros alimentos. Já os alimentos funcionais são aqueles que possuem comprovação científica na prevenção ou tratamento de doenças, gerando muitos benéficos à saúde.


Quais alimentos são considerados superfood?

Existem alguns alimentos com muitas propriedades benéficas, que podem ser consideradas superfoods. Entre eles, destacam-se:

  • Quinoa: com propriedades anti-inflamatórias atribuídos ao teor de ômega-3 e 6, boa fonte de proteína vegetal, fornece também vitaminas do complexo B, cálcio e zinco, além de fibras que contribuem para o emagrecimento, aumentando a sensação de saciedade. Pode ser encontrada em flocos, podendo ser usada como cereal matinal, ou em grãos, cozida, na forma de saladas, acrescentada ao prato durante as refeições, em sopa, a sua forma de utilização é muito ampla;
  • Linhaça: rica em fibras que podem ajudar a promover o controle do açúcar no sangue, pode, dessa forma, auxiliar no controle do diabetes; também é fonte de lignanas, que podem ajudar no controle dos sintomas da TPM e até auxiliar na prevenção de câncer de mama. A linhaça pode ser encontrada em sua forma íntegra (semente), em farinha, óleo e em cápsulas, pode ser usada de diversas formas, como em saladas de frutas, iogurte, em shakes, durante as refeições ou em saladas;
  • Açaí: composto por antioxidantes como as antocianinas, responsáveis por sua coloração roxa, e vitamina E, que ajudam a retardar o envelhecimento precoce, também contém ômega-6 que proporcionam benefícios, como por exemplo; interferir na formação das membranas celulares e da retina, produção hormonal e auxiliar no funcionamento adequado do sistema imunológico, e o ômega-9 é um anti-inflamatório que pode prevenir o câncer, agir contra doenças do coração e contra o envelhecimento precoce das células, além desses nutrientes contém carboidratos, proteínas, fibras e minerais, como cálcio, ferro e potássio. O açaí é consumido em forma na forma de creme gelado, acompanhado de frutas, cereais e iogurte, ou como suco. Na região nordeste do Brasil, acompanha pratos salgados.
  • Mirtilo ou blueberry: é uma fruta rica em fibras, zinco, ferro, potássio e magnésio, é um importante antioxidante. Pode ser consumida a fruta íntegra, ou desidratada, acrescentada em iogurte, leites e frutas;
  • gojiberry: contém nutrientes importantes como vitamina C e vitaminas B1, B2, B3 e B6. É encontrada, normalmente, na forma desidratada, podendo ser adicionada em iogurte, shakes, salada de frutas, entre outros;
  • Cacau: rico em polifenóis e flavonoides, tem poder antioxidante e pode auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares, também fornece triptofano, importante para produção de serotonina, proporcionando sensação de bem-estar. É composto por magnésio, ferro, cromo, zinco, manganês e cobre. Facilmente encontrado em pó, podendo ser incluído em receitas de bolo, panquecas, shakes e brigadeiro funcional;
  • Gengibre: com propriedades antioxidantes, anti-inflamatória, ação termogênica, além de ser composta por vitamina B6, potássio, magnésio e cobre. O gengibre por ser consumido em forma de chá, batido com sucos naturais em geral ou usado ralado nas refeições e saladas;
  • Romã: fornece ação antioxidante e pode auxiliar no controle do colesterol e auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares. O consumo pode ser da fruta propriamente ou em sucos;
  • Azeite de oliva extravirgem: rico em gorduras monoinsaturadas e vitamina E, pode reduzir o LDL (mau colesterol) e aumento de HDL (bom colesterol), oferece também ação antioxidante e anti-inflamatória. O consumo do azeite deve ser sempre para finalizar preparações, pois em altas temperaturas ele perde seus efeitos, sendo assim é bastante consumido com saladas, sopas e macarrão;
  • Amaranto: pode ser encontrado em flocos, grãos ou farinha. É rico em proteínas de alto valor biológico, fornecendo todos os aminoácidos que a carne oferece. Também é fonte de fibras, gorduras poliinsaturadas, cálcio, ferro, magnésio e vitaminas. Ele pode ser usado em sucos, shakes, como mingau e em sopas;
  • Biomassa de banana verde: retirada da polpa da banana verde, é rico vitaminas e minerais, baixo açúcar e fibras, podendo auxiliar no controle do colesterol, glicemia e melhorar a função intestinal. Muito utilizada como espessante em sopas, shakes, para engrossar o caldo do feijão, dar consistência à doces, como mousses e brigadeiro;
  • Semente de chia: excelente fonte vegetal de ômega-3, além de fibras. Pode ser usada em sobremesas, iogurte, sucos, saladas ou polvilhada nas refeições;
  • Maca peruana: é rica em fibras, aminoácidos, carboidratos, ferro, magnésio, fósforo, ômega-3 e 9, potássio, selênio, zinco e vitamina B1, vitamina B2, vitamina C e vitamina E, é conhecida por seu poder afrodisíaco e estimulante. Pode ser adicionada em bebidas como shakes de proteínas ou de frutas. 

Por que devo consumir superfood?

Os superfood são alimentos ricos em nutrientes que, se consumidos na dieta habitual e associados com hábitos saudáveis, podem oferecer muitos benefícios para saúde. Podem ser incluídos aos poucos na alimentação, de forma alternada e variada, garantindo uma alimentação equilibrada e nutritiva. 

Contraindicação dos superfoods

Por serem alimentos, o consumo habitual e em quantidades moderadas dos superfoods não oferecem riscos à saúde. Em casos de sensibilidade ou alergia a algum alimento específico, seu consumo deve ser evitado.


Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.